Let it be

Às vezes eu não sei por que certas coisas acontecem. Na verdade, eu sei, só é difícil digeri-las. Nós erramos tentando acertar… mas e aquelas pessoas que continuam persistindo no erro? Eu posso ser uma delas, claro.

Quem é perfeito, afinal de contas?

O cansaço às vezes me consome, mas é no final do dia que as coisas pioram. Eu não sei por que estou aqui escrevendo isso. Talvez seja para desabafar, coisa que não faço desde… abril. Aquele nó na garganta que não te deixa respirar direito. Por que tem que ser assim? Já não basta a faculdade, o estágio, o trabalho… Sei que há pessoas em situações realmente difíceis, e eu estou aqui a reclamar de coisas bobas, talvez. Mas é como eu me sinto e eu realmente gostaria de poder apagar tudo isso da minha cabeça. Eu quero apenas viver o momento, o agora, sem me preocupar se as coisas são para sempre ou não.

Acho que eu deveria me desapegar ainda mais das pessoas. Ligar o f*da-se de uma vez. O problema é que eu ainda me importo, e acho que é por isso que eu sofro. Mas bem, aqui estou eu… vivendo as consequências das minhas ações.

 

Anúncios

Upside down

I’m feeling broken inside. It looks like my whole world has crashed, and I don’t even know why. I feel guilty and I wanna change this feeling because it’s torturing me. I wanna be special like no one else. I don’t wanna share someone else’s feelings. I’m scared;  Confused; Alone. I’d like to talk to someone, but I simply can’t, because they will judge and I don’t want this. So here I am… writing these lines one more time. Hope I can feel better.

Empathy

O ser humano a cada dia me surpreende mais. É impressionante como algumas pessoas só entendem uma situação quando passam por ela. Há 3 dias eu tive uma dor terrível, diferente de todas as outras cólicas que eu geralmente tenho. Na quinta-feira, fui parar no hospital de tanta dor. O motivo? Pedra no rim. Não foi diagnosticado na radiografia, mas devido a todos os sintomas só poderia ser isso. O médico concluiu que como a pedrinha não apareceu nos exames, ela deveria ser muito pequena e já estaria no “canal”, e a única coisa a fazer era esperar. Esperar… e a dor? Pra você, que nunca sofreu com cólica (e eu estou me referindo a outros tipos de cólica), sabe qual é a sensação de uma cólica renal? É simplesmente horrível! Imagine você com cãibra, agora multiplique por 10, na região inferior às costas. E mais, essa sensação vai se repuxando até a parte da frente. Consegue imaginar? Não?

[…] Bem, após passar a manhã em um hospital, tomando soro e medicações, sem conseguir dormir, ouvindo pessoas gemendo de outras dores, fazendo vários exames, enfim eu pude ir para casa. Cheguei, cochilei um pouco e, quando acordei, a dor voltou. Só que numa intensidade menor. Ela aparecia e desaparecia, até que resolveu ficar. Tomei um remédio receitado pelo médico, o que aliviou, mas não passou. Consultei outra médica que confirmou que era pedra no rim. A solução: tomar muita água e esperar. Durante a noite foi difícil de encontrar uma posição para dormir que não fosse desconfortável. Acordei várias vezes para ir ao banheiro, e acho que pelas 5h da manhã eu consegui dormir sem dor. […]

Então não julgue alguém que passou por isso só porque você nunca teve. Agradeça à Deus que você é uma pessoa saudável e nunca precisou passar por isso. Eu realmente não desejo que as pessoas sintam o que eu senti para poderem compreender. Só queria que não julgassem algo do qual não conhecem. Esse é o maior erro que algumas pessoas cometem. Graças à Deus eu estou melhor hoje.  Mas após uma situação dessas, você fica com “medo” de sentir aquela dor novamente. Qualquer dorzinha mínima você já pensa que é mais uma pedrinha. Sei que não devo ficar neurótica com isso, e que já posso voltar para a minha rotina de sempre, mas esses primeiros dias são difíceis. Então tudo o que eu queria era a compreensão das pessoas. Quem realmente se preocupa com você, tendo passado por isso ou não, está ao seu lado. Mas e os outros? Cadê a empatia para com o próximo?

Loneliness

Sabe, às vezes eu me sinto sozinha. Não sei se é pela falta de tempo com os meus amigos, amigos? É, hoje em dia me encontro cada vez mais distante deles. É estranho, mas nessa correria que é a vida, você acaba não percebendo essa mudança. É difícil ter que lidar com tantas responsabilidades, e saber que elas nem chegaram ainda. Sei que estou nesse caminho já há um tempo, e tenho vários outros para percorrer. Mas o difícil é sobreviver nesse meio tempo sem se deixar abalar. Como sempre, acho que eu só precisava vir aqui desabafar…

2014 News, Layout […]

Hey! What’s up, dear blog?! It’s been such a long time since my last post here, right? (This is my classical quote). But well, new year, new life, new layout… It’s so good to change sometimes. On this last year a lot of things happened, but I’m not going to talk about that. Past is past. So, let’s focus in the present, in this new and beautiful year. I’ve so much things to do, starting with my college. I’ll start my internship in this next semester, but I’m trying not to freak out. I don’t know how I’m going to do it, but I’ll need to. This thing influences my job because as you know I’m an English teacher. So, all I know is that I don’t know anything \o/ But one thing I’m sure: I need to save money. I have many things to do and to buy. I know that it’s not good to be a material girl, but somethings are really necessary, like to do a dental implant (creepy, I know). AND another things such as buying books, plushies and bedroom furniture it’s not so important, just a little bit. Anyway, I’ll try to save money, because I also like to go to cafeterias with my boyfriend, and hang out with him. I need to live, right? Being a teacher is not easy, but I love it! (I deserve my vacations kkk). Okay! So to finish, I need to comment that I adored this new layout <3 And I’ll let here some pictures of December, 31st at my boyfriend’s house.

48 49 50

O amanhã…

Mais uma vez eu me encontro aqui escrevendo em português… Espero não estar perdendo a essência. Acho que quando você se encontra em certas situações, é mais fácil se expressar através da sua língua materna. Enfim, às vezes é bom ficar sozinha. Dessa maneira você pode pensar melhor, refletir sobre as coisas decorrentes do dia a dia, organizar seus pensamentos… ou não. É difícil chegar a uma solução quando você não sabe se na prática vai se enquadrar. É tão difícil viver, passar por provas e expiações =/ E bem, acho que eu sempre tive problemas para me relacionar com os outros, ou isso se “agravou” depois de um certo tempo. Mas quando você já não se vê mais sozinha, tendo que participar da vida de outras pessoas, parece que isso aumenta. Não que eu esteja reclamando, talvez a palavra correta seja “desabafando”. E eu acabo fazendo isso através das palavras. De 2011 pra cá eu peguei esse costume, ou foi antes? Enfim, não lembro ao certo, mas esse foi um meio de me fazer soltar tudo o que está preso dentro de mim, e que às vezes é difícil de expressar por meio da fala. Lembro-me de quando eu saía do trabalho e ia para uma pracinha escrever… Era tão bom! A vida era menos corrida, mas agora algumas coisas mudaram. A maioria foi pra melhor, e eu fiquei muito feliz com alguns dos resultados. Um dos meus problemas é me apegar ao passado, as pessoas… Não consigo lidar com o “abandono”. E isso acaba se refletindo no meu presente, me causando certos “contratempos”. Eu tento mudar, tendo resolver, mas é difícil. A gente acaba passando por tantas coisas ao longo da vida, e quando paramos para pensar, não chegamos nem na metade ainda. Tem muita água pra rolar… Eu só espero ter forças para lutar contra a maré. Sei que não estou sozinha, e isso é o que me conforta.